Notícias

19ª Toca do Coelho – Pintando o Sete
22 de março a 01 de abril de 2018
Tapera/RS
www.tocadocoelhotapera.com.br

 

A Toca do Coelho 2018 é um estímulo à imaginação. Pintar o sete sugere que se festeje e comemore intensamente a Páscoa, seus simbolismos e os espaços que a Toca do Coelho oferece a todos os visitantes.

A temática passa pelo sete e seus mistérios.

Na natureza e no mundo que nos envolve existem várias manifestações do número 7 e a Toca do Coelho vai apresentar algumas destas manifestações.

Os 7 Anões
Os Sete Anões é um grupo de personagens que aparece no conto de fadas escrito pelos irmãos Grimm chamado Branca de Neve, celebrados na animação da Disney do final da década de 1930 como Branca de Neve e os Sete Anões. São simbolicamente sete e eles chamam-se: Soneca, Dengoso, Feliz, Atchim, Mestre, Zangado e Dunga, o único dos anões que não possuía barba.

As 7 Cores do Arco Íris
O arco-íris é formado graças à refracção e reflexão da luz solar nas gotas de chuva. Por vezes também é possível verificar este fenômeno na água pulverizada em cascatas e cachoeiras.
O arco-íris é composto por 7 cores, que são apresentadas nesta ordem: vermelho, laranja, amarelo, verde, azul, anil (ou índigo) e violeta. No arco-íris, as cores aparecem sempre na mesma ordem e cada uma tem um significado próprio.
Vermelho
Simboliza paixão, amor e coragem. Também pode transmitir sentimentos de agressividade.
Laranja
Representa a comunicação, cordialidade e prosperidade.
Amarelo
Significa alegria, luz, jovialidade.
Verde
Evoca sentimentos de esperança, paz, equilíbrio e confiança.
Azul
Simboliza calma mental, harmonia e autoridade. Também pode transmitir sentimentos de frieza.
Índigo (anil)
Significa sinceridade, respeito e individualidade.
Violeta
Também descrita como roxo, a cor violeta está relacionada com a espiritualidade,
Existem também algumas lendas em relação ao arco-íris. A mais popular delas indica que no final de um arco-íris é possível encontrar um pote de ouro.
Atualmente, as cores do arco-íris usadas em uma bandeira representam a comunidade LGBT (lésbicas, gays, bissexuais, travestis, transexuais e trangêneros).

 

As 7 Notas Musicais

Notas musicais são sinais que representam a altura do som musical. Apesar de serem inúmeros os sons empregados na música, para representá-los bastam apenas sete notas:
DÓ – RÉ – MI – FÁ – SOL – LÁ – SI
As notas musicais, como são conhecidas hoje, foram criadas pelo monge italiano Guido d'Arezzo (992 - 1050 d.C), através do texto sagrado "Hino a São João Batista", sob o nome "Ut queant Laxis".

A Tabuada de Multiplicar do 7
A tabuada de multiplicar é utilizada para definir o produto para um sistema algébrico, seguindo a seguinte correspondência matemática
N X N = N
ordenados de forma a que cada par (a, b) de números naturais resulte em um terceiro parceiro natural (c), que é o produto dos dois primeiros.
A tabuada de multiplicar é aprendida na escola para se memorizar o produto de um número entre 1 e 10 por sucessivos números entre 1 e 10.
Tabuada 7:
7 x 1 = 7
7 x 2 = 14
7 x 3 = 21
7 x 4 = 28
7 x 5 = 35
7 x 6 = 42
7 x 7 = 49
7 x 8 = 56
7 x 9 = 63
7 x 10 = 70

O Mês 7 no Horóscopo
O horóscopo se trata de uma espécie de diagrama que define as posições relativas dos planetas e dos signos zodiacais num determinado dia específico, geralmente definido como o do nascimento de uma pessoa. A partir desse diagrama, então, os astrólogos tentam definir o caráter e a personalidade dessa pessoa, bem como prever fatos importantes em sua vida. Nesse sentido, o termo horóscopo é similar ao de um mapa astrológico.
CÂNCER - O signo de Câncer se inicia em 21 de Junho e termina em 22 de Julho. É um signo de Água, governado pela Lua. Por isso é um signo negativo, feminino, fecundo, mudo e introspectivo. Caranguejo.

LEÃO - O signo de Leão se inicia em 23 de Julho e termina em 22 de Agosto. É um signo positivo, de Fogo, estéril, animal, e é governado pelo Sol. Leão.

Bola 7

Bola 7 é preta e de maior pontuação no jogo de sinuca.
Sinuca é um jogo de mesa, taco e bolas praticado no Brasil, e constitui uma variante do pool, um jogo de mesa inventado em 1875 na Grã-Bretanha. Neste jogo dois adversários tentam colocar num dos seis buracos da mesa as bolas coloridas (não brancas) na sequência definida pelas regras. Pode ser jogado individualmente ou em dupla. Numa mesa de 2,84 m X 1,42 m (medida brasileira), são colocadas oito bolas, com pontuação de 1 (vermelha) a 7 (preta) mais a bola branca.
Cada bola de sinuca encaçapada possui uma pontuação a ser dada ao jogador: Vermelha - 1 ponto; Amarela - 2 pontos; Verde - 3 pontos; Marrom - 4 pontos; Azul - 5 pontos; Rosa - 6 pontos; Preta - 7 pontos.

 

Canastra
A canastra, também chamada de tranca, é um jogo de cartas que pode ser jogado entre duas ou quatro pessoas e com dois baralhos de 52 cartas e quatro curingas, e que consiste em fazer o maior número possível de séries de sete cartas do mesmo valor, ou do mesmo naipe em sequência.

As 7 Artes
As Sete Artes são consideradas a Música, a Dança, a Pintura, a Escultura, a Literatura, o Teatro e o Cinema. Não existe uma hierarquia basilar (apenas o cinema ocupa uma posição conhecida, a Sétima), no entanto cada pessoa pode tentar ordená-las.
Essa definição começou a tomar forma na Europa durante o século 18, quando surgiu o conceito de belas-artes – artes preocupadas com a criação do belo, sem utilidade prática a não ser representar a própria beleza.

No final do século 19, o cinema foi inventado pelos irmãos Auguste e Louis Lumière e, logo, os críticos passaram a considerá-lo um tipo mais recente de arte. No século 20, Ricciotto Canudo, intelectual italiano radicado na França, escreveu o Manifesto das Sete Artes. “Nele, Canudo define o cinema como a sétima arte por ser a arte plástica em movimento, aquela que consegue congregar todas as outras em uma só”, diz Ana Maria Giannasi, professora do curso de audiovisual do Senac São Paulo.
Curiosidade: Extra-oficialmente, outras artes também recebem numeração, como a fotografia (oitava), os quadrinhos (nona) e os games (décima).

Os 7 Pecados Capitais

Pecado é um termo usado para descrever qualquer tipo de desobediência a Deus. O pecado pode ser classificado como perdoável, que não necessita ser confessado caso haja arrependimento, e em pecado capital, que necessita de confissão, arrependimento e muitas vezes de penitência (na visão católica) para que a alma seja purificada.

Os conceitos incorporados no que se conhece hoje como os sete pecados capitais tratam de uma classificação de condições humanas conhecidas atualmente como vícios, que precedem o surgimento do cristianismo, mas que foram usadas mais tarde pelo catolicismo com o intuito de educar os seguidores, de forma a compreender e controlar os instintos básicos do ser humano e assim se aproximar de Deus. A partir de inícios do século XIV a popularidade dos sete pecados capitais entre artistas da época resultou numa popularização e mistura com a cultura humana no mundo inteiro.

São eles:
Avareza: É o apego excessivo e descontrolado pelos bens materiais e pelo dinheiro, priorizando-os e deixando Deus em segundo plano. É considerado o pecado mais tolo por se firmar em possibilidades.
Gula: É a busca constante e incontrolável por comida e bebida, mas há quem também considere a gula por comprar, por usar, por possuir e outros.

Inveja: É o desejo exagerado por posses, status, habilidades e tudo que outra pessoa tem e consegue. O invejoso ignora tudo o que é e possui para cobiçar o que é do próximo.

Ira: É o intenso e descontrolado sentimento de raiva, ódio, rancor que pode ou não gerar sentimento de vingança. É um sentimento mental e emotivo que conflita o agente causador da ira e o irado.

Luxúria: É o apego e o desejo descontrolado por prazeres carnais, também conhecidos como lascívia. É a entrega descontrolada ao sexo em busca de prazer.

Preguiça: É a aversão ao trabalho, a falta de capricho, o desleixo, a lentidão e a recusa em se esforçar.

Soberba: É o mesmo que arrogância, caracterizada pela falta de humildade, pelo sentimento de autossuficiência afirmando seu ego em oposição a Deus.


As 7 Maravilhas do Mundo Antigo

O que ficou conhecido na posteridade como as “Sete Maravilhas do Mundo” foi um conjunto de obras feitas pelo homem, que foram nomeadas e listadas pelos gregos com o intuito de apresentar “as sete coisas dignas de serem vistas”. As obras se distinguiam por sua beleza, grandeza, suntuosidade e magnitude.
Mesmo que tenham sido os gregos a listar as "Ta hepta Thaemata", como eles as chamavam, apenas uma se localizava na Grécia, a “Estátua de Zeus”, as demais estavam em outras localidades. O Colosso de Rodhes, na Ásia Menor; o Templo de Ártemis e o Mausoléu de Helicarnasso, em Éfeso; As Pirâmides de Gizé e o Farol de Alexandria, no Egito; e Os Jardins Suspensos da Babilônia, na atual Iraque.
Vamos conhecer um pouco mais acerca destas maravilhas:

A Grande Pirâmide de Gizé - Construída pelos egípcios há cerca de 4.500 anos, é a única maravilha antiga ainda existente. Construída por volta de 2.500 a.C. como monumento funerário ao Rei Queóps, ela é a maior das três pirâmides de Gizé. Segundo o historiador grego Heródoto, 100.000 homens trabalharam durante 20 anos na construção da pirâmide. Sua construção revela um grande conhecimento de geografia, astronomia, geologia, matemática e outras ciências por parte dos construtores egípcios.

Jardins Suspensos da Babilônia - Supostamente criado pelo rei Nabucodonosor em 605 a.C. para presentear sua esposa, a rainha Amyitis, na cidade da Babilônia, na Mesopotâmia, os Jardins Suspensos consistiam em uma estrutura arquitetônica de terraços que continham uma infinidade de espécies de fauna e flora. Não se sabe ao certo se existiram os Jardins Suspensos da Babilônia, entretanto, escavações arqueológicas realizadas no século XIX encontraram possíveis indícios de sua existência.

A Estátua de Zeus - Medindo de 10 a 15 metros de altura e localizada no templo de Olímpia na Grécia, a estátua foi construída em ouro e marfim durante oito anos, por volta de 450 a.C. O escultor Phídias representou Zeus sentado em seu trono, indicando sua superioridade sobre os demais deuses do panteão grego. A estátua foi transportada para o centro do Império Romano do Oriente, Constantinopla, e lá foi destruída em um incêndio, por volta de 470 d. C.

O templo de Ártemis - O Templo à deusa Ártemis, de Éfeso (atual Turquia), foi construído, reconstruído e aumentado várias vezes durante séculos, até que, por volta de 262 d.C., foi destruído durante a invasão bárbara dos godos. Possíveis vestígios podem ser encontrados hoje no Museu Britânico.

O Mausoléu de Halicarnasso - Construído por volta de 350 a.C., a mando da rainha Artemísia, com o intuito de abrigar os restos mortais do seu esposo e irmão, o rei Mausolo, o mausoléu também se localizava na Turquia. Foi destruído por volta do século XV por constantes terremotos e seus restos foram utilizados em outras construções.

O Colosso de Rhodes - O Colosso de Rhodes era uma estátua de bronze de 33 metros, construída na Grécia, por volta de 300 a.C., para homenagear o deus Hélios (deus do Sol) devido ao auxílio na vitória sobre o exército de Demétrio Pollorcetes. A estátua permaneceu de pé durante 50 anos, quando foi destruída por um terremoto que assolou a cidade de Rhodes em 226 a.C.

Farol de Alexandria - Feito de mármore e argamassa, o farol foi construído pelo arquiteto grego Sóstrato de Cnido, por volta de 250 a.C., para orientar os marinheiros em suas viagens noturnas. Resistiu a vários terremotos, mas começou a ruir por volta do século IV.

As 7 Maravilhas do Mundo Moderno

Em 2007, uma nova lista de obras grandiosas construídas pelo homem foi feita, denominadas agora como as Sete Maravilhas do Mundo Moderno.
Em 07 de julho de 2007, foram anunciadas no Estádio da Luz, em Lisboa, as Sete Maravilhas do Mundo Moderno, um novo conjunto de obras dignas de serem listadas, como foi feito pelos gregos com as Sete Maravilhas do Mundo Antigo.
O objetivo é manter viva na memória a beleza e grandiosidade de obras construídas pelo homem e que merecem ser vistas. Há ainda um interesse turístico para criar esta nova lista, fomentando a visitação destes lugares. Vamos conhecer abaixo as candidatas que foram escolhidas como as Sete Maravilhas do Mundo Moderno.
Coliseu (Itália) - Também conhecido como Anfiteatro Flaviano, o Coliseu é o principal símbolo de Roma, na Itália. Palco de lutas entre gladiadores e de massacres de cristãos, hoje conserva apenas uma parte de sua estrutura. Construído em 70 d.C., é uma das maiores construções do Império Romano.

Chichén Itzá (México) - A Cidade Maia de Chichén Itzá localiza-se na província mexicana de Iucatã. Compõem as estruturas da cidade a pirâmide de Kukulkan, o Templo de Chac Mool, a Praça das Mil Colunas e o Campo de Jogos dos Prisioneiros, formando um belo sítio arqueológico desta civilização americana.

Machu Picchu (Peru) - Construída no século XV, Machu Picchu(em quíchua, Machu Picchu significa “velha montanha”) é também conhecida como “cidade perdida dos Incas“. Localizada no topo de uma montanha da cordilheira dos Andes, a 2400 metros de altitude, no vale do rio Urubamba, atual Peru, a cidade hoje é o principal símbolo do Império Inca, que foi destruído com a chegada dos espanhóis à região no século XVI.

Cristo Redentor (Brasil) - Localizado no Rio de Janeiro, o Cristo Redentor mede 38 metros e foi construído sobre o morro do Corcovado. É o maior símbolo da cidade carioca e também um símbolo do cristianismo brasileiro, sendo inaugurado no dia 12 de outubro de 1931.

Muralha da China (China) - A Muralha da China, ou a Grande Muralha, teve sua construção iniciada por volta de 220 a.C. por determinação do primeiro Imperador Chinês Qin Shihuang, da dinastia Qin, com o objetivo de proteção militar no norte do Império chinês, estendendo-se por cerca de três mil quilômetros.

As Ruínas de Petra (Jordânia) - Petra é um importante enclave arqueológico da Jordânia, no Oriente Médio. Sua ocupação remonta o ano de 1200 a.C. A cidade prosperou durante os Impérios Romano e Bizantino, mas dois terremotos devastaram-na, sendo o segundo em 551 d.C.

Taj Mahal (Índia) - O Taj Mahal é um mausoléu situado em Agra, pequena cidade da Índia, e construído entre 1630 e 1652. Feito de mármore branco por ordem do imperador Shah Jahan, em memória de sua esposa, Aryumand Banu Begam, o Taj Mahal é também conhecido como uma das maiores provas de amor do mundo, contendo inscrições retiradas do alcorão e incrustado de pedras semipreciosas.

7 Belo

É a carta número sete de ouros do Baralho Espanhol.
O baralho espanhol consiste em um maço de 40 ou 48 cartas, classificados em 4 "naipes" e numerados de 1 a 12 (no de 40 cartas, faltam o 8 e o 9). Certos maços incluem a mais 2 curingas . Os quatro naipes são: ouros, espadas, copas e bastos. Usado nos jogos de truco, o menos copas, o três sete, entre outros.

7 Erros

O Jogo consiste em dois desenhos que parecem idênticos, mas existem 7 diferenças entre eles. O objetivo é encontrar as diferenças entre eles.

7 Orifícios da Cabeça Humana


Na cabeça humana, existem sete orifícios naturais.Todos esses 7 orifícios vêm em pares – dois olhos, duas narinas, dois ouvidos –, com exceção do último orifício, que é a boca.

Os 7 Povos das Missões

Sete Povos das Missões é o nome que se deu ao conjunto de sete aldeamentos indígenas fundados pelos Jesuítas espanhóis no Continente do Rio Grande de São Pedro, atual Rio Grande do Sul, composto pelas reduções de São Francisco de Borja, São Nicolau, São Miguel Arcanjo, São Lourenço Mártir, São João Batista, São Luiz Gonzaga e Santo Ângelo Custódio. Os Sete Povos também são conhecidos como Missões Orientais, por estarem localizados a leste do Rio Uruguai. Com os ataques dos bandeirantes, os jesuítas espanhóis fugiram da área do Guairá. Sete Povos das Missões é o nome que se deu ao conjunto de sete aldeamentos indígenas fundados pelos Jesuítas espanhóis no Continente do Rio Grande de São Pedro, atual Rio Grande do Sul, composto pelas reduções de São Francisco de Borja, São Nicolau, São Miguel Arcanjo, São Lourenço Mártir, São João Batista, São Luiz Gonzaga e Santo Ângelo Custódio. Os Sete Povos também são conhecidos como Missões Orientais, por estarem localizados a leste do Rio Uruguai. Com os ataques dos bandeirantes, os jesuítas espanhóis fugiram da área do Guairá. Os 7 Povos das missões:
São Francisco de Borja - A primeira a nascer, fundada pelo padre Francisco Garcia, era uma extensão da redução de São Tomé, de onde saíram 195 pessoas. Nela trabalhou o Padre José Brasanelli. Em 1707 esta redução contava com 2814 habitantes. Desta redução nasceu a cidade de São Borja.
São Luiz Gonzaga - Sua origem está na transferência, em 1687, de 2.922 pessoas que antes habitavam as reduções de São Joaquim e Santa Tereza. O Padre Alfonso del Castillo, Superior de todos os Povos, liderou a fundação. O 1º Cura foi o padre Miguel Fernandez. Em 1707 sua população se havia reduzido para 1.997 almas. Foi a origem a cidade moderna de São Luiz Gonzaga.
São Nicolau - Sua população antigamente habitava este mesmo local, na redução fundada pelo padre Roque Gonzales em 1626, mas havia sido expulsa pelos ataques dos bandeirantes de Francisco Bueno. Passaram para a Argentina e fundaram a redução dos Apóstolos, para onde afluíram refugiados também da redução de Tapes. Em 1687 estes povos se uniram e voltaram ao Rio Grande, e refundaram São Nicolau em 2 de fevereiro.
Este renascimento foi marcado por um ciclone e um incêndio, desastres que destruíram boa parte das instalações, incluindo a igreja. Mas logo a redução voltou a se recompor, reconstruindo o templo em pedra sob a orientação do padre Anselmo de la Matta. Chegou a possuir 7.751 pessoas em 1732, e deu origem à cidade de São Nicolau.
São Miguel Arcanjo - Seu primeiro fundador foi o padre Cristóvão de Mendonça, em 1632, que igualmente atacado por predadores bandeirantes, abandonou o local com os índios e se refugiaram em Concepción, no Paraguai. A volta aconteceu em 1687, com o deslocamento de 4.195 pessoas. E três anos já estava quase completa, com a casa dos padres e cem outras para os índios.
Em 1697 São Miguel foi dividida, indo 2.832 pessoas fundar a redução de São João Batista. Em 1707 possuía 3.110 habitantes. A igreja foi obra do padre João Batista Primoli, que de 1735 a 1744 a levantou empregando somente operários indígenas.
Suas ruínas são ainda visíveis nos dias de hoje, pertencentes ao município de São Miguel das Missões, constituindo o mais importante sítio arqueológico de sua natureza no estado, tendo sido declarado Patrimônio da Humanidade pela UNESCO, junto com outras ruínas no Paraguai, Argentina e Bolívia.
São Lourenço Mártir - Foi fundada em 1690 com nativos de Santa Maria Maior, descendentes dos fugitivos de Guaíra, que se instalaram no local liderados pelo padre Bernardo de La Veja. Em 1731 eram 6.400 os habitantes deste Povo. Seus remanescentes estão localizados em São Lourenço das Missões, no município de São Luiz Gonzaga.
São João Batista - Fundada pelo padre Antonio Sepp, um polímata que dominava a música, arquitetura, urbanismo, relojoaria, pintura e escultura. Foi seguido por 2.832 pessoas oriundas da redução de São Miguel. Os trabalhos na igreja iniciaram em 1708, quando já havia 3.400 pessoas habitando o aldeamento. Sob orientação de Sepp esta redução mostrou alto nível de atividade cultural. Suas ruínas se localizam na cidade de Entre-Ijuís.
Sepp também foi um geólogo e minerador, extraindo o primeiro ferro das Missões, fazendo instrumentos variados e até os sinos da igreja do seu Povo. Sua obra-prima foi o relógio instalado no campanário da igreja que, ao dar as horas, fazia desfilar pelo mostrador os 12 Apóstolos.
Santo Ângelo Custódio - Sua população anteriormente habitara Concepción, passara por Ijuí e por fim se fixou em Santo Ângelo, em 1707, com 2.879 pessoas sob o comando do padre Diogo de Hasse.

Luiz VII – o Jovem

Luís VII , também chamado de Luís, o Jovem, foi o Rei dos Franceses de 1137 até à data da sua morte. Era filho do rei Luís VI e de sua esposa Adelaide de Saboia. Ele casou-se com Leonor da Aquitânia, uma das mais poderosas e ricas mulheres da Europa. Ela trouxe consigo o vasto Ducado da Aquitânia como parte de seu dote, temporariamente estendendo as terras capetianas até aos Pirenéus. Porém, a união foi anulada em 1152 quando nenhum herdeiro foi produzido.
Durante o reinado de Luís foi fundada a Universidade de Paris e teve a desastrosa Segunda Cruzada. Ele e seu conselheiro Abade Suger tentaram uma maior centralização do poder e eram a favor do desenvolvimento da arquitetura gótica francesa, notavelmente na construção da Catedral de Notre-Dame. Luís morreu em 1180 e foi sucedido por seu único filho homem, Filipe II.

Os 7 Sacramentos da Igreja Católica

Segundo a Igreja Católica os Sacramentos são presentes dados por Deus e seu Filho para que os cristãos possam provar das bençãos divinas durante sua vida na Terra.
Para que você entenda os sacramentos da Igreja Católica, veja aqui o significado de cada um deles.

O Batismo - Para qualquer cristão, o Batismo é o primeiro dos 7 sacramentos que podem ser concedidos pela Igreja Católica. Ele tem o poder de perdoar o pecado original e, uma vez batizado, a pessoa será para sempre um filho de Deus e pertencerá eternamente a Cristo.
O ritual deste sacramento consiste no derramamento da água santa na cabeça do cristão ou até na sua completa imersão, enquanto é evocada a santíssima trindade. Como o batismo geralmente é feito em crianças pequenas e recém-nascidas, ele poder ser confirmado posteriormente pelo sacramento da crisma.

O Crisma - Trata-se da confirmação do batismo e da reafirmação da fé já na idade da razão. O crisma é celebrado durante uma cerimônia em que o cristão é ungido com óleo abençoado na quinta-feira da semana santa e recebe os sete dons do Espírito Santo.

Eucaristia - A Eucaristia é o sacramento da Igreja Católica que permite ao cristão receber o corpo de Cristo por meio da ingestão da hóstia (pão) consagrada. Ela faz alusão à Santa Ceia, a paixão e ressurreição, sendo que o pão representa o corpo de Jesus e o vinho representa o sangue do Senhor.

Reconciliação ou Penitência - Este sacramento nada mais é do que a oportunidade do cristão de reconhecer suas falhas e, quando arrependido, receber o perdão de Deus. Para isso, é preciso que a pessoa confesse seus pecados a um sacerdote, que atribuirá sua penitência e irá conferir o perdão divino.

Unção dos enfermos - Ao contrário do que muitos imaginam, a unção dos enfermos pode ser dada a qualquer pessoa que esteja doente e não somente àquelas que estejam prestes a falecer. Este é o sacramento pelo qual o sacerdote reza e unge o doente para estimular a sua cura por meio da fé, além de conceder o perdão divido após a confissão dos pecados.

Ordem - A ordem é o sacramento específico que concede a autoridade aos homens e os torna aptos a realizar o culto de Deus, consagrar o pão e o vinho em corpo e sangue de Jesus e promover a salvação das almas por meio do perdão divino.
Este sacramento instituído por Cristo está separado em três graus: o episcopado, presbiterado e diaconato.

Matrimônio - Como o próprio nome sugere, este é o sacramento que santifica a união entre o homem e a mulher. Por isso, o matrimônio é o único que não é sacramentado por um sacerdote de Deus, mas pelos próprios noivos que pedem e recebem a benção para começar uma nova família.

Crise dos 7 anos de Casamento

O termo “crise dos 7 anos” se popularizou com o filme “The Seven Year Itch”, filme de 1955 que no Brasil recebeu o nome de “O Pecado Mora ao Lado”. No enredo, o editor de livros Richard Sherman (Tom Ewell) aproveita que a mulher está viajando para se aproximar da vizinha sexy, vivida por Marilyn Monroe. Enquanto cultiva fantasias com a moça, ele se dedica à leitura do livro “A Coceira do Sétimo Ano” (tradução do nome em inglês do longa), que trata da forte tendência masculina à infidelidade após sete anos de casamento.
A crise dos 7 anos realmente existe? Não necessariamente. Estudos antropológicos sugerem que as separações geralmente ocorrem a partir dos 4 anos de relacionamento porque se trata do tempo para a concepção, gestação e criação de um bebê. Ou seja, você precisaria de amor para procriar e criar um filho com o seu parceiro, mas depois você estaria livre para encontrar outra pessoa. Ironias à parte, independentemente se o número exato é de 4, 5 ou 7 anos, o que é certo é que, segundo especialistas, a maioria dos casais, após um período de estabilidade, passam por uma crise no relacionamento.

Bicho de 7 Cabeças

Bicho de sete cabeças é uma expressão popular que significa que se está diante de alguma dificuldade que pode não ter uma resolução simples. É algo que é quase impossível de se solucionar.
Ao surgir alguma situação que se torna num grande problema e não se vislumbra uma resolução rápida, diz-se que a situação é um bicho de sete cabeças. Por exemplo: Aprender finlandês estava se tornando um bicho de sete cabeças.
A expressão também é utilizada como forma de tranquilizar alguém com receio de enfrentar uma situação aparentemente complicada ou ainda para minimizar a gravidade de um problema. Exemplo: Tirar a carteira de motorista não é um bicho de sete cabeças.
Origem da expressão - Acredita-se que a expressão "bicho de sete cabeças" tenha sua origem na quase invencível Hidra de Lerna, personagem da mitologia grega. De acordo com o lenda, Hidra de Lerna era uma gigantesca serpente que possuía muitas cabeças (sete ou nove) e habitava a região pantanosa de Lerna, na Grécia antiga. Era um animal extremamente perigoso e difícil de ser extinto porque quando uma das cabeças era cortada outra renascia em substituição. Coube ao heroi grego Héracles (Hércules para os romanos) a missão de derrotar o monstro. Para impedir a renovação das cabeças, Hércules incinerava cada cabeça cortada. Foi desta forma que conseguiu derrotar o terrível bicho.

Guardar à 7 Chaves

“Guardar a sete chaves” é uma expressão popular da língua portuguesa, utilizada no sentido de “algo que está muito bem protegido” ou “um segredo muito bem guardado”.
De acordo com registros históricos, esta expressão teria se originado a partir de um hábito bastante comum entre a realeza de Portugal, durante o século XIII.
Todas as jóias, documentos e demais objetos de importância para a Coroa Portuguesa eram guardados em um baú especial que tinha quatro fechaduras diferentes.
As quatro chaves, que abriam as fechaduras, eram entregues para quatro funcionários de alta responsabilidade do Reino, sendo necessário a presença dos quatro juntos para que o baú fosse aberto.
Naquela época, este era considerado um dos modos mais seguros de se guardar os tesouros e informações secretas.
Com o passar do tempo, o ato de guardar algo com várias chaves se transformou em sinônimo de segurança.
O número sete, no entanto, foi incorporado a expressão pelo fato de ter um significado cabalístico e místico para algumas religiões antigas, principalmente entre os babilónicos e egípcios.

 

7 Vacas Gordas e 7 Vacas Magras

Essa expressão se refere a interpretação de um sonho que o Faraó ordenou que José, filho de Jacó(Israel) interpretasse quando em cativeiro no Egito.
Segundo esse sonho, o Faraó via sete vacas gordas saírem do rio, logo após sete vacas magras devoravam as vacas gordas.
José disse que as sete vacas gordas eram os primeiros sete anos de fartura que o Egito teria, mas que a seguir sete anos de miséria devorariam os sete anos de fartura.
O Faraó com muita sabedoria chamou José para organizar armazéns para guardar a produção dos sete anos de fartura, e assim quando os anos de miséria chegaram o mundo todo padeceu fome e o Egito se tornou o celeiro de todo o mundo conhecido.
Tempos de "vacas magras" desde então é todo período de escassês, é usada essa expressão sempre que alguém se refere a época de maus negócios, é uma expressão negativa e como tal não deve trazer nada de bom a quem a usa.

Quebrar Espelhos Dá 7 Anos de Azar

A ideia de que dá azar quebrar espelho é muito antiga e há várias histórias para explicar a origem dessa crença. Mas ninguém sabe ao certo quando essa superstição surgiu. Uma delas é do tempo da Grécia Antiga e vem da mitologia (estudo das lendas e dos seres fantásticos, que eram considerados deuses). Conta-se que Narciso se apaixonou pela própria imagem refletida em um lago e morreu de fome depois de ficar vários dias admirando sua figura. Nesse caso, a explicação dos estudiosos é de que muita gente acredita que a quebra de uma imagem - no caso do espelho - representa a própria morte, assim como aconteceu com Narciso.
Por outro lado, há quem acredite que essa superstição tenha surgido por causa de um método de adivinhação chamado catoptromacia, na Grécia Antiga. Nesse método, um recipiente com água era usado para ver o futuro. Mas se a vasilha quebrasse, a pessoa morreria ou teria azar por vários dias. Os romanos, por sua vez, diziam que a falta de sorte poderia durar até sete anos. Para eles, esse seria o período que uma pessoa levaria para começar uma nova fase de vida.
Outra explicação vem do fim do século 13, quando surgiram os primeiros espelhos de vidro como conhecemos hoje, na Itália. Na época, esses objetos eram muito caros, e as pessoas que costumavam limpá-los eram advertidas de que se o quebrassem teriam muitos anos de azar. Aqui no Brasil, os historiadores dizem que essa crença deve ter vindo com os portugueses e se juntado a outras crenças dos índios e de outros povos. Na verdade, tudo isso é apenas superstição, sem nenhum fundamento. O que traz má sorte são ter pensamentos ruins e ficar pensando nisso.

O Pequeno Polegar e as Botas de Sete-léguas

Antigo conto de fadas europeu .Um pobre lenhador tinha sete filhos, e o caçula era tão pequenino que o chamavam Pequeno Polegar. Mas, apesar do tamanho, era um menino muito esperto. Como a Europa passava por um período de muita fome, o pai decidiu abandonar os filhos na floresta. Depois de muito andar, as crianças avistaram um lindo castelo e para lá se dirigiram em busca de abrigo e alimento. Um ogro malvado, que ali residia, resolveu que iria devorá-los. Mas Polegar, percebendo a intenção do malvado, durante a noite, trocou o seu chapéu e os chapéus dos irmãos pelas coroas das filhas do ogro, que as devorou pensando que fossem os rapazes. Eles tiveram então que fugir do castelo, e o Pequeno Polegar calçou as botas encantadas do ogro enquanto ele dormia, e assim ajudou os irmãos a voltarem para casa. Com o auxílio das botas de sete-léguas, Polegar trabalhou para um rei, conseguiu muito dinheiro e pode finalmente voltar para sua casa e nunca mais passaram fome.
Légua era a denominação de várias unidades de medidas de itinerários (de comprimentos longos) utilizadas em Portugal, Brasil, e em outros países, até à introdução do sistema métrico. As várias unidades com esta denominação tinham valores que variavam entre 2 e 7 quilômetros.

Polígamo de 7 Lados - Heptágono
Os polígonos são formados por segmentos de retas fechados. O encontro dos segmentos é denominado vértice do polígono, e os segmentos de retas recebem o nome de arestas.
Qualquer polígono recebe o nome de acordo com o número de lados da figura. Veja algumas classificações de polígonos: Triângulo – possui 3 lados; Quadrilátero – possui 4 lados; Pentágono – possui 5 lados; Hexágono – possui 6 lados; Heptágono – possui 7 lados; Octógono – possui 8 lados; Eneágono – possui 9 lados; Decágono – possui 10 lados; Undecágono – possui 11 lados; Dodecágono – possui 12 lados; Pentadecágono – possui 15 lados; Icoságono – possui 20 lados.

Poliedro de 7 Faces - Heptaedro
Um heptaedro é um poliedro com sete faces.
É uma forma geométrica com volume de sete lados. Diferente do cubo onde os seus lados são iguais, o heptaedro tem lados diferentes.

Os 7 Orixás da Umbanda

Os orixás são os guias espirituais da religião brasileira, são entidades que representam as forças da natureza, eles são aliados das pessoas, protegem e guiam aqueles que nascem como seus filhos.
Orixás são divindades. Uma das correntes da Umbanda afirma que são esses os 7 orixás da umbanda: Oxalá, Ogum, Oxossi, Xangô, Iemanjá, Oxum e Iansã.

Oxalá: No sincretismo religioso brasileiro é representado por Jesus. Costumeiramente usa-se uma estrela de 5 pontas como referência a esse poderoso orixá. Oxalá é força do ar, das águas primordiais, detentor do poder da criação da humanidade. Aquele cujo poder determina o fim da existência física, na paz da partida (outra encarnação). Como Jesus, representa tudo de bom e positivo: alma pura, amor, bondade, energias positivas.
Cores: branco ou translúcido (cristalino, como a água puríssima)
Dia da semana: sexta-feira

Ogum: No sincretismo religioso brasileiro é representado por São Jorge. Orixá guerreiro, enérgico, defensor e tenaz. Costumeiramente é sempre evocado por vencer as demandas de quem deposita no orixá sua fé (as batalhas do dia a dia), também lembrado por ser o senhor das estradas, a quem se deve pedir licença e benção para iniciar algo novo. Também representa o ordenamento.
Cor: vermelho (mais habitual) e branco, podem ser combinadas
Dia da semana: terça-feira

Oxossi, ou Oxóssi: No sincretismo religioso brasileiro é representado por São Sebastião. Orixá que é o senhor das matas, que remete à saúde física, energia vital, cura das enfermidades. Oxossi é também um caçador, mas de corações e espíritos para levá-los à consciência do bem. Tal qual Ogum, é um grande guerreiro e é sempre lembrado nos momentos em que se precisa de uma força sobrenatural para se vencer uma demanda (batalha).
Cor:verde
Dia da semana: quinta-feira

Xangô: No sincretismo religioso brasileiro é representado por São Jerônimo, mas há correntes que unem também Santa Bárbara a Xangô. É o orixá da justiça, aquele que tanto pode absolver, quanto punir, tudo dentro do discernimento do que é certo e do que é errado. Aos justos a vitória, aos injustos o peso da pena.
Cor:marrom
Dia da semana: quarta-feira

Iemanjá: No sincretismo religioso brasileiro é representado por Nossa Senhora dos Navegantes e também por Nossa Senhora da Conceição, há outras representações, porém essas são as principais. Considerada a mãe de todos os orixás, a rainha do mar, Iemanjá é o orixá mais conhecido e popular no Brasil. Sua atuação é benéfica à maternidade, à família e ao amor. Sempre lembrada pelas pessoas que lhe ofertam presentes, como forma de agradarem o orixá.
Cor: azul e branco – pode ter prata também
Dia da semana: sexta-feira

Oxum: No sincretismo religioso brasileiro é representado por Nossa Senhora de Aparecida e também por diversas Nossas Senhoras. É o orixá do amor, da complacência, da fertilidade, da reprodução, portanto é o orixá das mulheres. Limpa os ambientes deixando somente energias positivas. Evocada sempre pelas gestantes, é protetora da juventude, como uma mãe, que protege seus filhos e jamais os deixa sem ajuda.
Cor:amarelo/ouro e azul
Dia da semana: sábado

Iansã: No sincretismo religioso brasileiro é representado por Santa Bárbara. Orixá das transformações, das mudanças, como rainha das tempestades, raios e trovões, que quando desabam modificam tudo, é evocada sempre quando é preciso mudar radicalmente de vida, ambientes, trabalho, intelecto. Como outra orixá guerreira, tem o grande poder de anular o mal, desfazendo bruxarias, encantamentos e feitiços.
Cor:amarelo/ouro
Dia da semana: quarta-feira

Omulú ou Obaluaê: No sincretismo religioso brasileiro é representado por São Lázaro, ou São Roque. Temido orixá por ter poder da saúde, da cura, mas também das doenças e da morte física. Porém, a morte física apenas promove a mudança de um estágio menor para um de maior valor. Simboliza transmutação, nem sempre necessariamente a morte física, mas a mudança radical de um estágio para outro. Evocado por doentes e familiares de doentes é o orixá da evolução.
Cor:preto e branco
Dia da semana: segunda-feira

Os 7 Dias da Semana

A semana é um período correspondente a um grupo de sete dias, que é o tempo de duração aproximado de uma fase lunar (¼ de ciclo lunar). Porém, a origem da expressão é mais recente e vem do latim septimana, que significava sete manhãs.
A semana foi uma evolução na medida do tempo, cujo início ocorreu pela relação do homem com a natureza e principalmente com o que mais lhe chamava atenção e influenciava em sua vida, a movimentação dos astros, da Lua, do Sol e dos planetas errantes por eles monitorados.
Como surgiram os nomes dos dias da semana?
Na sua origem, os nomes dias da semana tinham influência na astrologia, cada um representava um astro do nosso Sistema Solar: Sol (domingo), Lua (segunda), Marte (terça), Mercúrio (quarta), Júpiter (quinta), Vênus (sexta) e Saturno (sábado).
Segundo o Guia dos Curiosos , nos países latinos, por influência do cristianismo, o dia do Sol, solis dies , foi substituído por dominica , dia do Senhor; e o saturni dies , dia de Saturno, por sabbatum , derivado do hebraico shabbath, dia do descanso, consagrado pelo Velho Testamento.
Não satisfeita com a origem pagã dos nomes dos dias, a igreja católica dos paises de língua portuguesa transformou a homenagem aos astros em números, isso graças ao apostolado de São Martinho de Braga, que afirmava que não se podia "dar nomes de demônios aos dias que Deus criou".
Já o termo "feira" surgiu em português porque, na semana de Páscoa, todos os dias eram feriados, as férias, e o mercado funcionavam ao ar livre, as feiras.
Preservando o domingo, dia do Senhor, como primeiro dia da semana, a igreja instituiu a secunda feira , a segunda-feira e assim sucessivamente. Estava criada a semana portuguesa.

Shabat ou Sabá – Simboliza o 7º Dia em Gênesis

É o nome dado ao dia de descanso semanal no judaísmo, simbolizando o sétimo dia em Gênesis, após os seis dias de Criação. Apesar de ser comumente dito ser o domingo de cada semana, é observado a partir do pôr-do-sol da sexta-feira até o pôr-do-sol do sábado. O exato momento de início e final do shabat varia de semana para semana e de lugar para lugar, de acordo com o horário do pôr-do-sol. O shabat é observado tanto por judeus quanto por cristãos, como por exemplo adventistas do sétimo dia e batistas do sétimo dia.
Observância do Shabat na religião judaica implica abster-se de atividades de trabalho , muitas vezes com grande rigor , e se engajar em atividades repousantes para honrar o dia. posição tradicional do judaísmo é que ininterrupta do sétimo dia de Shabat originado entre o povo judeu, como sua primeira e mais sagrada instituição, embora alguns sugerem outras origens.

Deus Seti
Seth (ou Seti em português) é o deus egípcio da violência e da desordem, da traição, do ciúme, da inveja, do deserto, da guerra, dos animais e serpentes. Seth era encarnação do espírito do mal e irmão de Osíris, o deus que trouxe a civilização para o Egito. Seth era também o deus da tempestade no Alto Egito. Era marido e irmão de Néftis. É descrito que Seth teria rasgado o ventre de sua mãe Nut com as próprias garras para nascer. Ele originalmente auxiliava Rá em sua eterna luta contra a serpente Apep na barca lunar, e nesse sentido Seth era originalmente visto como um deus bom.

 

O 7 no Dominó
No início da partida são divididas 7 pedras para cada jogador.
Dominó é uma classe de jogos de mesa para dois a quatro jogadores, que se joga com um conjunto de peças com marcações.
O jogo aparentemente surgiu na China e sua criação é atribuída a um santo soldado chinês chamado Hung Ming, que viveu de 243 a.C a 182 a.C. O conjunto tradicional de dominós é formado por 28[1] peças, ou pedras. Cada face retangular de dominó é dividida em duas partes quadradas, ou "pontas", que são marcadas por um número de pontos de 1 a 6 ou deixadas em branco, para representar o zero.

007
James Bond, também conhecido pelo código 007, é um agente secretofictício do serviço de espionagem britânico MI-6, criado pelo escritor Ian Fleming em 1953.
O personagem foi apresentado ao público em livros de bolso na década de 1950, com o romance Casino Royale, tornando-se um sucesso de venda e popularidade. Na década seguinte, os livros viraram uma grande franquia no cinema, a mais duradora e bem sucedida financeiramente, com um total de vinte e quatro filmes oficiais, começando com O Satânico Dr. No, em 1962.

O 7º Filho é Lobisomem
No Brasil existem muitas versões desta lenda, variando de acordo com a região. Uma versão diz que a sétima criança em uma sequência de filhos do mesmo sexo tornar-se-á um lobisomem. Outra versão diz o mesmo de um menino nascido após uma sucessão de sete mulheres. Outra, ainda, diz que o oitavo filho se tornará a fera. Outra já diz que é após a morte de um familiar que possuía a aberração e passou de pai pra filho, avô pra neto e assim por diante.
Nas noites de lua cheia, quando a lua tem um poder magnético sobre as pessoas, ele se transforma num ser metade homem e metade lobo. A lenda é conhecida em todas as partes do mundo. O estudo sobre esse fenômeno conhecido como Licantropia.

A Páscoa é 7 Luas após o Carnaval
No ano de 325, durante o Primeiro Concílio de Niceia, os bispos da Igreja Católica definiram a data de comemoração da Páscoa. Como veremos, a data do carnaval é definida, tendo como referência a Páscoa, que também varia de ano para ano.
A Páscoa é definida, tendo como referência o Equinócio, dia em que o dia e a noite possuem a mesma duração (doze horas). O Equinócio costuma ser por volta do dia 20 de março de cada ano. Após a ocorrência do Equinócio, deve-se esperar a primeira lua cheia, pois no domingo seguinte é o Dia da Páscoa.
Como vimos, a data da Páscoa depende da Lua Cheia, que é um fenômeno da natureza que varia de ano para ano. Assim como o Equinócio, que também é um fenômeno da natureza, pois não tem data fixa para acontecer. Mas e o Carnaval?
O dia do Carnaval ocorre 47 dias antes da Páscoa. Pois, sete dias antes da Páscoa é o Domingo de Ramos (começo da Semana Santa). Quarenta dias antes do início da Semana Santa é a terça-feira de Carnaval. Logo, o dia do Carnaval é o último antes do período da Quaresma, em que muitas igrejas cristãs possuem a tradição de fazer jejum de carne.
Vale lembrar: O Carnaval é uma festa pagã e não cristã. Não foi definida pelos religiosos. Provavelmente, esta tradição popular foi criada para que as pessoas pudessem comer carne (este sentido foi ampliado como o passar do tempo), antes de começar o período de jejum de 40 dias (Quaresma).

É certo que entre o Carnaval e a Páscoa passamos por 7 fases da Lua.

Craques da Camisa 7
Renato Portaluppi, também conhecido como Renato Gaúcho, é um treinador e ex-futebolistabrasileiro, que atuava como ponta direita. Atual treinador do Grêmio, é o maior ídolo da sua história. Como gremista, foi campeão da Libertadores como jogador e treinador, e mundial como jogador.
Valdomiro era praticamente mortal nas cobranças de falta. Valdomiro seria o único jogador Octacampeão Gaúcho, um feito jamais igualado no futebol do Rio Grande do Sul. Também foi um dos destaques do tricampeonato brasileiro do Internacional (1975-1976-1979), jogando ao lado de Falcão, Carpegiani, Figueroa e do ponta esquerda Lula.
Garrincha, "O Anjo de Pernas Tortas" [1], foi um dos principais jogadores das conquistas da Copa do Mundo de 1958 e, principalmente, da Copa do Mundo de 1962 quando, após a contusão de Pelé, se tornou o principal jogador do time brasileiro. Morreu em 1983, aos 49 anos, em decorrência do alcoolismo.

7 de Setembro
A Independência do Brasil é o feriado em que se celebra a emancipação brasileira do reino de Portugal. O Dia da Independência do Brasil foi 7 de setembro de 1822, data que ficou conhecida pelo episódio do "Grito do Ipiranga".
A Independência do Brasil deu os primeiros passos às margens do riacho Ipiranga, hoje atual cidade de São Paulo. O Príncipe Regente Dom Pedro I gritou "independência ou morte" e a partir desse momento, simbolicamente, o Brasil não era mais uma colônia de Portugal. Estava finalmente estabelecida a Independência do Brasil.

Banda CR-7

Em 1967, o cantor Roberto Carlos , o baterista Anderson Marquez, o contrabaixista Bruno Pascoal, o tecladista Antonio Wanderley, o trombonista Raul de Souza, o saxofonista Ernesto Neto, e o trompetista Maguinho formaram a Banda RC-7. Foi a formação mais famosa da banda de Roberto Carlos. A sonoridade da banda ficou impressionante. É notável a diferença, no disco Em Ritmo de Aventura, daquele ano.

 

 

Veja as edições anteriores da Toca:
2010 2011 2012 2013 2014 2015 2016 2017